O criminoso assassinou a mulher com cinco tiros e, em seguida, tentou matar um amigo dela dentro de uma academia. Segundo familiares, o policial não aceitava o término do relacionamento.

Uma mulher foi assassinada na tarde desta sexta-feira (4/5), por volta das 14h, com cinco tiros, em Ceilândia. Um irmão e um primo da vítima relataram que o crime foi cometido por um policial militar, apontado como ex-namorado da vítima.

Segundo parentes, Jessyka Laynara Silva, 25 anos, era ex-namorada do PM, identificado como Ronan Rego, que não aceitava o fim do relacionamento. “Eles já haviam terminado algumas vezes ao longo do relacionamento. Ele a ameaçava, ia atrás dela em casas de familiares. Ele a vigiava. Ficava realmente na cola, ameaçando, dizendo que ia matá-la e não ficaria preso, pois é policial”, conta Leonardo Silva, 35 anos, primo da vítima. Ela e o agressor mantiveram o relacionamento amoroso por aproximadamente seis anos. Assista com Cautela. Cenas São Fortes:


Suspeitas esconderam o material dentro de vasilhas plásticas.

Duas mulheres foram detidas sob suspeita de tentar levar para dentro do Conjunto Penal de Itabuna, sudoeste da Bahia, 31 facas, chips, carregadores, aparelhos celulares e correntes (batidões). Segundo informações da polícia, as mulheres, que não tiveram as identidades reveladas, esconderam o material dentro de vasilhas plásticas, utilizadas normalmente para levar alimentos.

A dupla foi encaminhada para a delegacia da cidade e foi autuada em flagrante. As duas foram detidas pela Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPG), da Polícia Militar.


Quatro pessoas ficaram feridas após uma batida entre um caminhão e um carro de passeio. O acidente aconteceu na madrugada desta sexta-feira (04), na BA-120, entre os municípios de Santaluz e Valente, na região sisaleira da Bahia.

 (Foto: reprodução/Notícias de Santaluz)

Após a batida, o motorista do caminhão, que estava carregado com frutas, Amauri Ferreira de Aquino, de 50 anos, perdeu o controle do veículo e capotou. Dois homens que estavam acompanhando o condutor, Sérgio dos Santos Gericó, 31 anos, e João Evangelista de Lacerda, de 40, sofreram ferimentos pelo corpo.


A ação aconteceu por volta das 02:40h desta sexta-feira, 04/Maio.

Uma Operação Conjunta entre as guarnições do 4° Pelotão da 8ªCIPM, das cidades de Itororó e Firmino Alves e da Delegacia Territorial (DT) de Itororó terminou com o óbito de Aliomar dos Santos Cerqueira de 35 anos, indivíduo altamente perigoso e conhecido como “Chico Louco”.

A guarnição se deslocou para a zona rural do município, por solicitação da vítima de no iniciais A.M.S., após a informação de que o indivíduo “Chico Louco”, ex-presidiário, com diversas passagens pela policia e considerado de alta periculosidade, até mesmo por outros bandidos, havia invadido a sua propriedade rural, arrombando e apropriando-se de uma das casas inclusive, ameaçando e expulsando o solicitante e sua família, de posse de uma arma de fogo, tipo revólver.

Chegando ao local, ao perceber a presença da polícia, ” Chico Louco” fugiu pelos fundos da residência, disparando contra os policiais que reagiram a injusta agressão. O indivíduo foi ferido na ação, sendo socorrido ao Hospital Maternidade de Itororó, porém, não resistiu aos ferimentos. Constatado o óbito pela médica plantonista, Dra Lieska. O fato foi informado ao Complexo Policial de Itapetinga.

MATERIAL APREENDIDO:

01 revólver cal. 32, marca Taurus, com 04 munições deflagradas e 01 picotada.

01 espingarda de socar.

26 buchas de substância análoga à maconha.

06 pinos de substância análoga a crack.

04 pipetas plásticas com substância análoga a cocaína.


Reunião que aconteceu no Distrito de Itati, com a presença do Prefeito Adauto, junto com vereadores, com ex-Prefeito Adroaldo Almeida, e o deputado estadual Rosemberg Pinto e o proprietário da fábrica calçadista Lia Line, o senhor Irivan Soares.

O proprietário da Lia Line, Sr. Irivan Soares falou com clareza e positividade e com a certeza da instalação da fábrica no Distrito. O galpão que há alguns anos atrás pertencia a fábrica da Vulcabras/Azaléia passou por um sério problema de ocupação após uma outra empresa do ramo de pequenas ferramentas tentar se instalar no distrito sem êxito.