Um jovem de 18 anos foi alvo de uma emboscada e acabou espancado após marcar um encontro pelo WhatsApp com uma garota que conheceu nas redes sociais.

Morador de Brotas, ele combinou de se encontrar com a jovem na noite de quarta-feira (27), perto do supermercado Bompreço, da Vasco da Gama. Ao chegar ao local, pelo aplicativo, a suposta jovem perguntou como ele estava vestido para que pudesse identificá-lo. Após a resposta, pediu que ele andasse mais alguns metros. Para surpresa do rapaz, ao invés da mulher, ele se deparou com um grupo com mais de sete rapazes, que o ameaçou com uma arma e o levou para dentro da comunidade de Lajinha, na Baixa da Égua.

Lá, ele foi agredido com coronhadas no rosto e teve o celular roubado. Entre os agressores, três pessoas foram reconhecidas pela vítima. Os jovens ainda fizeram ameaças. “Eles disseram que sabiam onde ele morava”, contou uma familiar. A vítima foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE) com hematomas no rosto. Ele foi atendido e já teve alta. A ocorrência foi registrada no posto policial da unidade. No entanto, por medo de represália, a família não prestou queixa na delegacia. O jovem é estudante da rede estadual e trabalha em uma lanchonete.


Um homem morreu atropelado na madrugada deste sábado (7), na Avenida Júlio José Rodrigues, na cidade de Itapetinga, no interior da Bahia. O acidente aconteceu próximo a estação rodoviária da cidade, por volta das 4 horas.

Com a violência do acidente, a vítima foi arrastada por alguns metros, sofreu várias fraturas expostas e morreu no local, antes de receber atendimento médico.   Agentes da Polícia Civil, Guarda Civil Municipal, Coordenadoria Municipal de Trânsito (Comutran) e Departamento de Polícia Técnica (DPT) estiveram no local do ocorrido.

O homem foi identificado oficialmente como Ademilton Silva de Andrade, de 29 anos.  Ele estava indo para casa, no bairro Vila Isabel, quando foi atropelado e morto, após participar de uma festa no bairro São Francisco de Assis. Ainda conforme as primeiras informações apuradas pelo site Itapetinga Repórter, o pedestre teria problemas mentais e foi visto minutos antes consumindo bebida alcoólica no evento.


A Investigadora de Polícia Dolores Mileide de Souza Simões, lotada na 17ª Subdivisão Policial de Apucarana, matou o filho de quatro anos a tiros e, em seguida, cometeu suicídio na cidade de Cambé, na Região Metropolitana de Londrina.

Ela e a criança estavam há dois dias sem dar notícias, o que fez com que familiares fossem até sua casa, na tarde desta sexta-feira (6), e encontrassem os corpos dela e do filho.

Antes de matar o filho e cometer suicídio, Mileide deixou uma carta explicando a motivação do crime. Ela teria perdido a guarda do filho para o ex-marido, que, segundo ela, teria abusado da criança em fevereiro de 2017.

Leia a carta na íntegra:


O policial civil Jorge Henrique Banha, de 48 anos, se matou com um tiro na boca após disparar contra dois jovens, tendo matado um, e constatar que um deles era filho de um colega seu da corporação.

A tragédia aconteceu por volta de 21h30, de sexta-feira (6), em uma distribuidora de bebidas localizada na Av. Padre Manoel da Nóbrega, Jesus de Nazaré, Centro de Macapá/AP. De acordo com testemunhas, os dois jovens, Ricardo Brito Oliveira, de 22 anos, e Ronald Willian Souza de Oliveira, de 21 anos, chegaram ao estabelecimento em um carro branco, estacionaram e entraram para comprar algo.