No vídeo ele relata discussão com irmão, que pode ter acontecido no dia do noivado com Amanda Bueno

Amanda foi morta a tiros pelo noivo dentro de casa (Foto: Reprodução/Facebook)

Dias antes de matar a própria mulher a tiros, a dançarina Amanda Bueno, ex-integrante do grupo de funk Gaiola das Popozudas, Milton Severiano Vieira  gravou um vídeo em que relata uma situação de estresse com o irmão. No vídeo, ele fala que estava bêbado em casa e que o irmão o teria humilhado fazendo imagens dele naquela situação e compartilhado na internet.

Na manhã de sexta-feira, Milton prestou depoimento e confessou ter matado a mulher. Ele disse que “teve um surto” e que, por isso cometeu o crime. Miltinho da Van, como é conhecido, espancou e atirou em Amanda no final da tarde de quinta-feira (17).

De acordo com o delegado que acompanha o caso, o crime aconteceu após uma discussão do casal, que tinham noivado no último domingo (11). A dançarina teria descoberto teria descoberto uma relação extraconjugal do noivo. Ainda segundo o delegado, Milton já tinha duas passagens pela polícia por violência doméstica. Duas ex-mulheres traçaram o perfil dele como agressivo, principalmente quando estava sob efeito de álcool.

Em entrevista ao G1, a irmã de Amanda contou que os dois estavam juntos há cerca de seis meses, mas a família da dançarina não conhecia o empresário.

G1


Após algumas horas de cirurgia, a mulher foi encaminhada para a unidade intensiva.

A romena Madalina Neagu, de 42 anos, ficou arrasada quando descobriu sua suposta gravidez era na verdade um tumor. Segundo informações do site ‘Mirror’, os médicos retiraram um tumor de quase 5 kg em sua barriga. De acordo com a publicação, a mulher deu entrada no hospital Botosani County com muita dor no abdômen e, após exames de emergência, os médicos retiraram um tumor gigante de dentro de seu útero.

foto ilustrativa da internet

Após algumas horas de cirurgia, a mulher foi encaminhada para a unidade intensiva de tratamento. “Não tínhamos como pensar que ela não estava grávida”, disse o médico que cuidou da mulher.

IBAHIA NOTICIAS


A vítima de 27 anos foi atacada pelo companheiro enquanto saía de um bar no Engenho Velho de Brotas

Uma mulher de 27 anos teve uma faca cravada na cabeça após ser atacada pelo companheiro no Engenho Velho de Brotas, em Salvador, na madrugada deste domingo (19). O caso acontece por volta das 2h na 2ª Travessa Vila América. De acordo com a Central de Polícia, Luciene Ricardo Borges foi abordada pelo namorado enquanto saía de um bar no bairro.

O casal começou a discutir no local. Durante a briga, ele pegou uma faca e atacou a moça. O rapaz fugiu logo em seguida, e a vítima foi socorrida por testemunhas para o Hospital Geral do Estado (HGE). Luciene ficou com a faca cravada no crânio.

De acordo com o posto de Polícia Civil da unidade médica, ela passou por uma cirurgia na manhã deste domingo, e segue internada na instituição. O estado de saúde dela não foi divulgado. A identidade do companheiro de Luciene não foi divulgada pela polícia, e ele segue foragido.

Correio24horas


motocarroUm motorista visivelmente embriagado provocou um acidente no início da noite de hoje (sábado) na rotatória da Avenida Rosa Cruz, ao lado da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) de Vitória da Conquista. O condutor do veículo acabou colidindo com um motociclista, que teve vários ferimentos e acabou sendo atendido por uma equipe do Samu 192.

Polícia Militar e agentes de trânsito também estiveram no local e tomaram as devidas providências.

Fonte: Blog do Rodrigo Ferraz


nova identidadeA troca da cédula de identidade (RG) pelo novo cartão do Registro de Identidade Civil (RIC) já começou no último dia 17. As pessoas selecionadas serão convocadas por carta a partir desta semana.

De acordo com o Ministério da Justiça, os habitantes de Brasília, Rio de Janeiro e Salvador serão os primeiros a receber as cartas. As cidades de Hidrolândia (GO), Ilha de Itamaracá (PE), Nísia Floresta (RN) e Rio Sono (TO) também fazem parte do projeto piloto, e o início da convocação terá início ainda no primeiro semestre.

A nova identidade foi lançada em dezembro, mas o período de transição de governo atrapalhou o início do processo de troca. Segundo o Ministério da Justiça, os cartões das pessoas selecionadas já estão prontos, pois foram feitos com base nos cadastros repassados pelos estados.


De faxineiro a bilionário: conheça a história do criador do WhatsApp

Em um extenso e revelador perfil, uma revista norte-americana contou a trajetória do empresário, que aos 16 anos trabalhava como faxineiro

Jan Koum nasceu e cresceu em uma pequena vila da Ucrânia, onde não tinha acesso
a coisas simples como água quente e telefone

Jan Koum é um dos criadores do WhatsApp e tem um patrimônio avaliado em US$ 6,4 bilhões. Quem vê o empresário bem sucedido nem imagina o passado simples e difícil desse ucraniano de 36 anos. Em um extenso e revelador perfil, a revista Forbes contou a trajetória dele, que aos 16 anos trabalhava como faxineiro.

Koum, que criou o Whatsapp em sociedade com Brian Acton, nasceu e cresceu em uma pequena vila da Ucrânia, onde não tinha acesso a coisas simples como água quente e telefone. Aos 16 anos, ele e sua mãe, uma dona de casa, foram morar nos Estados Unidos. Lá o empresário trabalhou como faxineiro em uma mercearia para ajudar nas despesas de casa.

Apesar de ser considerado um ‘aluno encrenqueiro’ no colegial, segundo a Forbes, Koum conseguiu uma vaga na Universidade de San José. Ele não chegou a concluir o curso, mas gostava muito de tecnologia e logo se juntou a um grupo de hackers chamado w00w00.

Brian Acton é o sócio de Jan Koum; juntos eles criaram o WhatsApp

Mas sua vida começou a mudar realmente quando ele conseguiu um emprego para inspecionar o sistema de publicidade da Yahoo!. Entre 2000 e 2007 ele trabalhou na empresa e foi lá que ele conheceu Brian Acton. Eles logo tornaram-se amigos e o então colega de trabalho foi quem apoiou Koum quando sua mãe faleceu em decorrência de um câncer, em 2000.

Em 2009, fora do Yahoo! Koum e Acton criaram o WhatsApp, inicialmente com versão apenas para iPhone. Mas o aplicativo fez sucesso rapidamente e em 2015 chegou a mais de 450 milhões de usuários, dos quais 72% usam o aplicativo diariamente.

Em meados de 2014, os sócios receberam diversas propostas para vender o WhatsApp. Entre os interessados, dois gigantes da web: o Google e o Facebook. Mas o serviço acabou sendo vendido para o Facebook por US$ 19 bilhões.


  • cãozinho de garotoA vizinha Mariléia Santos disse que, se o animal não for levado para o Piauí, ficará na casa dela

Após a morte do estudante Eduardo de Jesus Ferreira, 10, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, a família da vítima viajou para oPiauí e deixou para trás a cadela Pipoca e os gatos Cast e Ed. Os animais foram adotados pela vizinha, Mariléia Santos, 34, que aguarda o contato da mãe de Eduardo, Terezinha de Jesus, para saber se ela vai querê-los de volta.

“Se ela não quiser, meu marido já falou que eles não vão sair daqui. Seremos a nova família deles”, afirmou ela ao UOL, nesta sexta-feira (17), horas antes da reconstituição do crime pela Polícia Civil.

Segundo a moradora da localidade Areal, no Complexo do Alemão, desde que Eduardo morreu após ser atingido por um tiro na cabeça na porta de casa, Pipoca “chora todos os dias” e “só quer saber de ficar no cantinho, triste”. “Ela até come normalmente e, às vezes, brinca com a gente. Na maior parte do tempo, ela dorme ou fica deitadinha no canto dela”, afirmou.

Mariléia já tinha outro cão em casa, o Bingo, que, segundo ela, recepcionou bem a nova integrante da família. “Aqui em casa não tem confusão. Tem espaço para todo mundo. Os gatos sofrem mais, mas é melhor tê-los em casa do que na rua”, disse. Mariléia afirmou ainda que Pipoca e Eduardo sempre estavam juntos. “Ele tinha a cachorrinha como uma verdadeira amiga. Ela corria atrás dele pra cima e pra baixo”, disse.

Se depender da família de Eduardo, no entanto, a cachorrinha vai ter que se habituar ao calor do Piauí.

“Vem todo mundo, vou dar um jeito de trazer a Pipoca e os gatos também”, diz Terezinha de Jesus, mãe de Eduardo. Ela e a família, que voltaram ao Rio para ajudar nas investigações da morte do menino, pretendem voltar a viver no Estado natal de Tereza o mais breve possível.

José Maria, pai de Eduardo, conta que foi o filho quem batizou a cachorra. “Como ela é branquinha, branquinha, o Dudu quis chamar de Pipoca. Ela era agarrada demais com ele.”

Marcas de tiros


Miltinho da Van se disse ‘arrependido’; polícia apura ligação com milícia.
Vídeo mostra agressões e tiros que mataram a dançarina; cenas são fortes.

 

Milton Severiano Vieira, conhecido como Miltinho da Van, confessou nesta sexta-feira (17) oassassinato de sua noiva, a dançarina de funk Amanda Bueno. Ao advogado Hugo Assumpção e a jornalistas, ele disse que teve um “surto” e que está arrependido do crime. Em depoimento, no entanto, ele se reservou o direito de ficar calado.popozuda

De acordo com o delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios da Baixada, Milton foi indiciado por roubo majorado com emprego de arma de fogo, porte ilegal de arma e homicídio triplamento qualificado – agravado por motivo fútil e ausência de chance da vítima.

Amanda Bueno morreu na tarde desta quinta-feira (Foto: Reprodução/Facebook)Amanda foi cruelmente assassinada em casa
(Foto: Reprodução/Facebook)

Até 67 anos de prisão
Segundo Cardoso, a tipificação foi baseada nonovo crime de feminicídio. A lei para assassinatos de mulheres por razão de gênero foi sancionada em março pela presidente Dilma Rousseff e funciona com agravante do crime de homicídio, além de ser classificado como hediondo. Se condenado por todos os crimes, a pena somada pode chegar a 67 anos de prisão.

O delegado informou que será investigada ainda uma suposta ligação de Milton com milícias e outros homicídios.

“Uma pessoa que controla tantas linhas de vans, tem tantas armas sem registro em casa e um esquema de segurança tão grande envolvendo a sua casa será investigado para sabermos se está relacionado com outros crimes”, afirma o delegado Fábio Cardoso.

A polícia vai apurar registros de crimes, principalmente na região da Posse, em Nova Iguaçu. “Vamos verificar os homicídios que aconteceram naquela área e, caso tenham sido cometidos com o mesmo tipo de arma, vamos pedir confronto balístico.”

Miltinho da van foi preso (Foto: Cristina Boeckel/ G1)

Miltinho da Van, preso após bater de carro na fuga, teve ferimentos na cabeça (Foto: Cristina Boeckel/ G1)

Histórico de ciúme e agressão
Milton Vieira tem duas passagens anteriores pela polícia por agressões a mulheres. “Ele já tem um histórico de violência doméstica”, explicou o delegado.

Amigas da funkeira, que não quiseram ser identificadas, contaram ao G1 que ela parou de dançar a pedido do noivo. Amanda, de 29 anos, é ex-integrante da Jaula das Gostozudas e da Gaiola das Popozudas.

Segundo o delegado, o crime pode ter sido motivado por ciúmes. Miltinho teria almoçado com uma ex-namorada que, no dia do crime, ligou para Amanda para provocar. A ligação teria gerado uma briga e Miltinho saiu de casa. Mais tarde, ele teria voltado cambaleando.

O advogado acredita que um dos motivos do ciúme seriam vídeos recebidos por Milton. Assumpção não quis comentar o teor das imagens para “presevar” Amanda.

Crime registrado por câmeras
Um vídeo postado na página do Radar Costa Verde mostra o momento do assassinato, em registros feitos por câmeras de segurança (veja ao lado, nas imagens editadas por conter cenas fortes).

A polícia confirmou que a dinâmica do crime é a mesma que parece no vídeo. Após discussão, Milton pega a vítima pelo pescoço, bate com a cabeça dela 11 vezes em uma pedra do jardim e dá 10 coronhadas na cabeça dela. Em seguida, entra em casa, veste o colete à prova de balas e se arma com um revólver, três pistolas e uma espingarda calibre 12. Ao passar pelo corpo, dá tiros com a pistola e com a espingarda no rosto da vítima.

Após a morte, Miltinho sai, rende dois homens e rouba um carro, mas é preso logo depois do crime, ao capotar durante fuga da polícia. Quatro armas, incluindo uma espingarda semelhante à que aparece no vídeo, foram encontradas no veículo.

Segundo a polícia, ele não tinha porte para nenhuma das armas encontradas. O advogado falou que tinha autorização por ser colecionador.

Amanda ficou noiva de Milton 4 dias antes de morrer (Foto: Reprodução/Facebook)

Amanda ficou noiva de Milton 4 dias antes de morrer (Foto: Reprodução/Facebook)

Noivos há 4 dias
Amanda Bueno, que na verdade se chama Cícera Alves de Sena, ficou noiva de Miltinho da Van, de 32 anos, quatro dias antes do crime. O assassinato ocorreu na casa do casal, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no fim da tarde desta quinta-feira.

De acordo com o delegado, o suspeito, que teria roubado um carro logo após assassinar a mulher, foi localizado por agentes da unidade e, ao tentar escapar, perdeu o controle da direção do veículo e capotou.

Ele foi encaminhado, sob escolta policial, ao Hospital da Posse, e liberado com ferimentos leves. O preso será transferido neste sábado (17) para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Dançarina de funk Amanda Bueno (Foto: Reprodução / Facebook)

Dançarina de funk Amanda Bueno tinha 29 anos (Foto: Reprodução / Facebook)

Família ‘abaladíssima’
O corpo de Amanda foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML). De acordo com uma amiga, que não quis se identificar, a dançarina, que na verdade se chama Cícera Alves Sena e nasceu em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, tinha uma filha de 11 anos, que mora com a avó. A familía, segundo ela, está ‘abaladíssima’.

“Mesmo morando no Rio, ela era uma mãe muito presente e falava sempre com a filha pelo telefone. Elas tinham muito carinho uma pela outra”, disse a amiga.

Os parentes ainda sabem pouco sobre o caso. Uma irmã de Amanda já viajou para o Rio para poder liberar o corpo, que será enterrado em Goiânia.

Valesca Popuzuda lamenta
A cantora Valesca Popozuda lamentou a morte de Amanda Bueno em uma mensagem em sua rede social na internet. Elas trabalharam juntas durante um período no grupo Gaiola das Popozudas. Na mensagem, Valesca relembrou relembrou o convívio nos shows e nas viagens com Amanda Bueno. Confira na íntegra:

“Meus pêsames a toda Família da ‪#‎AmandaBueno‬. Uma moça que teve seus sonhos interrompidos deixando amigos e família órfãs de seu sorriso e sua presença, Amanda assim como muitas mulheres no mundo foi vítima de violência doméstica, existem donas de casas, advogadas, médicas que sofrem da mesma violência que Amanda sofreu, infelizmente o fim dela foi triste e de uma forma violenta e trágica. Fica meu respeito pela pessoa da Amanda , ficam as lembranças dos shows, as risadas nas viagens e a lembrança da Garra que ela tinha em querer um futuro melhor para sua Filha e sua mãe. Peço a Deus que dê o descanso merecido para Amanda e o conforto necessário para toda sua família”.

Valesca Popozuda postou mensagem de solidariedade à família de Amanda Bueno (Foto: Reprodução / Facebook)

Valesca Popozuda postou mensagem de solidariedade à família de Amanda (Foto: Reprodução / Facebook)


popozudaMilton Severiano Vieira, 32 anos, foi preso na noite de quinta-feira (16) pelo assassinato da mulher, Amanda Bueno, 29, ex-dançarina do grupo de funk Jaula das Gostozudas e também da Gaiola das Popozudas, na casa em que viviam, na Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense (RJ). Imagens do sistema de segurança, instalado pelo próprio Vieira três dias antes do crime, mostram o momento do assassinato.

Vieira foi indiciado por feminicídio, assassinato cometido contra mulheres em razão de seu sexo ou em decorrência da violência doméstica. A lei tipificando o crime como hediondo foi sancionada em março.

As imagens mostram que Amanda e Vieira começaram a discutir em casa no fim da tarde de quinta-feira. O bate-boca vira agressão: ele a derruba no chão e bate com a cabeça de Amanda no chão. Em seguida, atira por várias vezes contra a cabeça da mulher com uma pistola. A dançarina já está morta quando Vieira troca de arma e faz mais cinco disparos com uma escopeta calibre 12.

Atenção: Vídeo fortíssimo! Clique abaixo:



FILHA COM FILHOS DO PRORPIO PAI
A dona de casa, Júlia Pinheiro das Chagas, de 31 anos, foi resgatada pela polícia na comunidade Lago dos Paus, no Rio Gregório (AM). De acordo com matéria do site G1, a mulher mora há quase três anos com seis filhos que são frutos de uma relação incestuosa que manteve por anos com o seu pai, João das Chagas Ribeiro Mourão, de 66 anos. Há dois, ele cumpre a sentença no regime fechado no presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, distante 648 quilômetros da capital acreana.A dona de casa que vive com a ajuda de Aluguel Social, oferecido pela prefeitura da cidade, conta ao G1 que abriga ela e os seis filhos. Tímida e com o vocabulário restrito, Júlia relembra a vida que tinha ao lado do pai. Ela disse ai site que engravidou oito vezes, mas os dois mais velhos morreram. Ela conta também que não sabia que era errado e não entendia nada disso. Só percebeu que tinha algum problema quando seus filhos começaram a ter deficiência, sabia que eles não eram normais.

Todos têm algum tipo de deficiência. O que apresenta o estado mais crítico é o filho de 6 anos: ele não anda devido a uma deficiência motora e também tem uma espécie de descamação na pele. Outra filha, uma garotinha de 11 anos, também tem dificuldades de relacionamento.A mulher ainda relatou ao G1, que tem dias que a filha passa o dia sem comer, não fala com ninguém. Fica pelos cantos. A mãe acha que ela tem uma lembrança bem forte de tudo que aconteceu. Durante a entrevista, a menina não comentou nada. Ela disse à mãe que não gosta de ir nem mesmo à escola, porque lá tem de enfrentar muitas pessoas. Sobre as lembranças do que viveu com seu pai/avô, ela prefere o silêncio.

Questionada se um dia pretende reencontrar o pai, Júlia diz que tenta aos poucos perdoar o que João fez com ela e com as crianças. Ela disse ao G1, que pensa em procurá-lo para que ele possa ver as crianças, porque quando ele foi preso, os filhos eram todos bem pequenos. Julia ainda relata que teve muita raiva do pai, mas agora está tentando esquecer. Ela diz também que pode até perdoar. Mas, às vezes, é difícil falar.


Um vídeo de uma boneca misteriosa causou sensações de mal estar em várias pessoas que o assistiram.

Cerca de 80 pessoas relataram à investigadora paranormal Jayne Harris, que trabalha em Shrewsbury, Shropshire, Inlgaterra, terem sentido dores de cabeça, náuseas e dores no peito depois de terem assistido ao vídeo da boneca Peggy. Acredita-se que a boneca esteja possuída por um espírito maligno.

A própria investigadora paranormal relatou que teve enxaquecas ao lidar com a misteriosa boneca e disse que nunca viu um caso dessa intensidade antes.

Várias pessoas já tiveram dores no peito, náuseas e dores de cabeça após assistirem vídeo sobre misteriosa boneca

Mais 80 pessoas relataram à investigadora paranormal Jayne Harris, da Inglaterra, terem se sentido mal depois de assistirem ao vídeo da misteriosa boca Peggy.

Peggy foi enviada para a investigadora depois que sua antiga proprietária relatou uma série de terríveis pesadelos.

investigadora paranormal Jayne Harris, da Inglaterra

investigadora paranormal Jayne Harris, da Inglaterra

Acredita-se que a boneca esteja possuída pelo espírito de uma mulher que nasceu em 1946, em Holland Park, em Londres, e que morreu de um possível um ataque de asma.

222

Houve um relato de uma mulher dizendo ter sido visitada por Peggy em seus sonhos, onde a boneca a alertou sobre seu gato. No dia seguinte o animal morreu.

De acordo com a paranormal, a boneca parece ter aversão a um crucifixo, o que significaria que ela não é cristã.

2222

22222222

2222222

222222

22222

Fonte: Daily Mail


Uma estudante universitária morreu na noite desta quarta-feira (15), em um acidente na BR-367, a cerca de seis quilômetros do centro de Eunápolis. Patrícia Mayla, de 19 anos, estava no carro que bateu de frente com um ônibus.

Outros dois estudantes que estavam no veículo, um Fiat Uno, não tiveram ferimentos graves, segundo um socorrista do Samu. A mulher, que não usava o cinto de segurança, foi arremessada. O corpo dela foi encontrado a alguns metros do veículo. De acordo com o Samu, Patrícia teve um trauma crânio-encefálico e já foi encontrada morta. O motorista do ônibus da empresa Rota, José Edekson Santos Vieira, de 49 anos, afirmou que o Uno ultrapassava outro carro em um trecho de faixa contínua.

O impacto da batida arrancou a porta do ônibus. O automóvel capotou fora da pista e ficou completamente destruído. O ônibus, que transportava 25 pessoas, fazia a linha Ilhéus – Porto Seguro. Nenhum passageiro ficou ferido. Os três estudantes voltavam da faculdade Unesulbahia. A polícia ainda não confirmou os nomes dos outros dois rapazes. Patrícia Mayla – que era natural do Pará, cursava enfermagem.

Foto/Fonte:Verdinho


Na tarde de hoje (quinta-feira) mais um acidente foi registrado na Serra do Marçal, trecho que liga Vitória da Conquista ao município de Itambé.

Segundo informações preliminares, uma carreta acabou colidindo em um Fiat Uno, que estava seguindo para Conquista. O condutor do veículo de passeio ficou preso às ferragens.

Foto: Leitor - Blog do Rodrigo Ferraz

Uma equipe do Corpo de Bombeiros precisou ser acionada no intuito de retirar a vítima do carro. Nenhuma vítima fatal foi registrada.


0