Bahia: Criminosos deixaram dinamite que não explodiu para trás. BB e Bradesco foram atingidos em Macarani

Dois reféns foram levados na fuga. PMs da Rondesp de Salvador chegaram a cidade, juntamente com especialistas no desarme de bombas. Quadrilha é procurada na região.

Os bandidos que explodiram a agência do Banco do Brasil e o Posto do Bradesco em Macarani utilizaram exlosivos a base TNT (Dinamite), e na fuga acabaram deixando para trás um pacote de bomba em um dos caixas do Banco do Brasil que não explodiu. O esquadrão anti-bombas da Polícia Militar, foi chamado para desarmar o artefato que é altamente peigoso se manuseado de forma inadequada.

 

Policias da Rondesp de Salvador, chegaram a cidade juntamente com especialistas no desarme de bombas de alto teor explosivo e irão desarmar o pacote deixado para trás. Os bandidos que fugiram em quatro veículos deixaram dois abandonados e queimados a cerca de dez quilômetros na rodovia BA 170 sentido Macarani/Itapetinga, um Fiat Uno e um Ônix Chevrolet e fugiram em duas pickups Fiat Toto e umaToyota Hilux.

Explosões

Na madrugada desta segunda-feira (12), por volta das 02h30, homens fortemente armados a bordo de quatro veículos, uma pickup Fiat Toro, uma Hilux, um Fiat Uno e um Chevrolet Ônix, chegaram ao Largo São Pedro e numa ação ousada explodiram simultaneamente a agência do Banco do Brasil em Macarani e o Posto Avançado do Bradesco, fugindo em seguida, pegando a BA 170 sentido Macarani Itapetinga.

Na fuga os bandidos levaram dois reféns, os vigilantes da feira livre da cidade conhecidos por Dete e Lôro, que foram liberados ainda na saída da cidade. A CAESG, já chegou a Macarani onde juntamente com os Policiais do 5º Pelotão da Polícia Militar iniciou as buscas aos bandidos. A quadrilha, que segundo informações trata-se de mais ou menos sete elementos abandonou dois dos veículos a cerca de dez quilômetros da cidade onde atearam fogo no Ônix e no Fiat Uno ficando apenas com as pickups Toro e Hilux.

Ainda não existem informações concretas se eles levaram apenas caixas eletrônicos ou se o cofre do Banco do Brasil. Em sete anos, esta é a segunda vez que a agência do Banco do Brasil em Macarani é alvo da ação de bandidos. Em 2011 o então gerente na época, recém chegado a cidade, Edvaldo Emerenciano, teve sua esposa e empregada doméstica feitas de reféns enquanto era obrigado a abrir o cofre da agência para os bandidos.

Isso levou a Direção Regional a colocar Macarani como cidade de fator de risco nível cinco e a reduzir a quantidade de dinheiro disponível nos caixas eletrônicos nos finais de semana e feriados prolongados. A Polícia está realizando diligências, mas ainda não logrou êxito na localização e destino da quadrilha. Mesmo sem ser confrontados, antes de fugir os bandidos dispararam vários tiros para o alto e em direção a agência do Banco do Brasil para intimidar e impedir atos de heroísmo de alguém que decidisse empreender uma perseguição a quadrilha.

Fonte: Revista Geral Bahia.



Comentários

Os comentários estão fechados.
0