A Investigadora de Polícia Dolores Mileide de Souza Simões, lotada na 17ª Subdivisão Policial de Apucarana, matou o filho de quatro anos a tiros e, em seguida, cometeu suicídio na cidade de Cambé, na Região Metropolitana de Londrina.

Ela e a criança estavam há dois dias sem dar notícias, o que fez com que familiares fossem até sua casa, na tarde desta sexta-feira (6), e encontrassem os corpos dela e do filho.

Antes de matar o filho e cometer suicídio, Mileide deixou uma carta explicando a motivação do crime. Ela teria perdido a guarda do filho para o ex-marido, que, segundo ela, teria abusado da criança em fevereiro de 2017.

Leia a carta na íntegra:


A divisão de investigações Criminais (DIC) da Polícia Civil divulgou nesta quarta-feira, 4, a identidade do jovem encontrado morto na tarde de ontem, em um matagal no Segundo Distrito de Rio Branco/AC.

Trata-se de Igor Silva, de 16 anos, morador do bairro Calafate. Segundo o site Nortão, o cadáver de Igor foi encontrado por populares com sinais de perfuração espalhados pelo corpo. A Polícia Militar foi acionada e isolou a área até a chegada dos peritos criminais.

Logo após a divulgação da identidade do menor pelas autoridades policiais, um vídeo de pouco mais de um minuto começou a circular nas redes sociais mostrando o jovem sendo interrogado supostamente por membros do Bonde dos 13. A suspeita é que Igor pertencesse a facção Comando Vermelho. Assista:


A mãe do cantor baiano Hiago Danadinho, de 14 anos, foi esfaqueada pelo ex-companheiro, com quem tem uma filha de cinco anos. Um dos golpes atingiu o olho da vítima.

Segundo as primeiras informações, a vítima sofreu dez facadas. Ela está internada no Hospital Geral do Estado. A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) informou que não dá informações sobre vítimas. Em entrevista à RecordTV, a irmã da vítima, identificada como Adriana, falou das ameaças que a irmã sofria.

“Ela já estava separada há um tempo por causa das ameaças dele contra a vida dela. Veio visitar a mãe, ele invadiu a casa, não foi a primeira vez, há quatro ocorrências contra ele em que ela afirma que ele iria terminar o que começou”, disse.


O delegado Luis Eduardo Sandim Benites afirmou que a vítima não aceitava o relacionamento do casal.

Uma adolescente de 12 anos e o namorado de 16 são suspeitos de terem matado a mãe da menina, de 37 anos, em Pinheiro Machado, na Região da Campanha do Rio Grande do Sul. Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu na tarde de quinta-feira (28), na casa onde a mulher morava.

“Houve uma briga entre a mãe e o namorado da filha. A mãe não concordava com o relacionamento. Mataram ela e enterraram no pátio de casa”, disse o delegado.


Edson Aparecido Oliveira Rosa, de 35 anos, teria atirado contra a cabeça de sua ex-mulher Yara Macedo dos Santos, de 30 anos, após ela se recusar a lhe mostrar o celular. O casal estava separado há um mês, e Edson não aceitava o fim do relacionamento.

Segundo a investigação feita pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) da polícia da cidade de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, Edson chegava a ficar dias sem trabalhar atrás de Yara.  Segundo a investigação, Yara foi agredida com socos na última segunda-feira (25) e morta com um tiro na cabeça após se negar a mostrar para o ex-marido o celular, segundo o que relatou o filho de 14 anos da vítima em depoimento na delegacia.


Uma professora conhecida como Kaká foi morta na manhã de sábado (23) a pauladas enquanto dormia em sua própria casa, na na cidade de Maringá, município no Paraná. A principal suspeita da Polícia Civil é de latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

A Polícia Civil buscou imagens das câmeras de segurança de residências localizadas na região onde morava a professora Maria Aparecida Carnelossi Pacífico, 60 anos, para identificar os autores do crime que chocou Maringá. Um morador de rua e usuário de drogas, de 41 anos foi preso e confessou o assassinato. Em depoimento, ele teria entregue um outro andarilho que também seria usuário de drogas e teria participado do crime. Esse suspeito também foi detido.

“O andarilho afirmou que os dois entraram na casa da vítima inicialmente para roubar, apenas, e não soube dizer como tudo caminhou até a morte dela”, destaca o delegado da 9ª SDP Luiz Henrique Vicentini, responsável pelo caso.


Uma mulher foi presa neste domingo (24) suspeita de participação na morte do ex-marido dela, em Guanambi, no Centro Sul Baiano.

De acordo com informações obtidas pelo site Sudoeste Bahia, Maria da Gloria Silva de Almeida atraiu Antônio Carlos Silva Martins, 44 anos, para o local do crime. Ele foi morto a facadas e teve as mãos e os pés decepados. O atual namorado dela, que ainda não teve a identidade revelada pela polícia, também suspeito de envolvimento no crime, está foragido. Antônio estava desaparecido desde o ultimo domingo (17).

Segundo a Polícia Civil, na manhã de hoje, Maria da Gloria ligou para o Centro Integrado de Comunicação (Cicom) informando sobre a localização do corpo. Equipes da Polícia Militar e do Serviço de Investigação (SI) da 22ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) foram ao local, um matagal próximo ao Residencial Gurungas e constataram o fato. Ainda segundo a polícia, Maria da Gloria confessou o crime, em depoimento. Ela foi presa e autuada por homicídio qualificado e ficará a disposição da justiça no Sistema Prisional da Delegacia Territorial de Guanambi. A polícia não divulgou mais detalhes sobre o caso, que segue sendo investigado. // Sudoeste Bahia


Na madrugada desta segunda-feira, 25, por volta das 4h, ocorreu um homicídio na Rua das Turbinas, nas proximidades do parque de exposições, no bairro de Barreirinhas, em Barreiras.

De acordo com informações, um desentendimento dentro do Parque de Exposição, onde estava ocorrendo o São João de Barreiras, teria ocasionado o homicídio. Um rapaz não identificado teria dado um esbarrão proposital no jovem identificado por Atillas Henrique Batista de Souza, 18 anos. Atillas acionou os policiais militares que acabaram advertindo o indivíduo que esbarrou nele.

Os amigos de Atillas acreditam que o rapaz que foi advertido pela PM teria ficado com raiva e preparado uma vingança. O agressor, que estava acompanhado de alguns indivíduos, abordou Atillas na Rua das Turbinas. O jovem ainda tentou se defender e os dois entraram em luta corporal. Atillas ainda correu, mas foi alcançado e esfaqueado.


Um jogador de futebol, de 22 anos foi preso em flagrante na última quinta-feira (21/4) acusado de matar uma mulher transexual de 33 anos. A vítima foi identificada como Thalia Costa Barboza.

Conforme a polícia, ela foi morta a pauladas por Douglas Gluszszak Rodrigues, que jogava futebol pela Associação Esportiva São Borja, time que disputa a Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho.

O corpo de Thalia foi encontrado próximo a uma Estação de Captação de água às margens do Rio Uruguai, em São Borja, no Rio Grande do Sul. De acordo com o UOL, o suspeito assumiu a autoria do crime, alegando que estava sofrendo ameaças de Thalia, com quem mantinha um relacionamento.

“Ele conta que, nos últimos dias, vinha recebendo ameaças da vítima, que publicaria fotos dele com ela nas redes sociais”, contou o delegado responsável pelo caso. Douglas não deu detalhes sobre como cometeu o assassinato.

Em nota, o clube no qual ele atua, a Associação Esportiva de São Borja, classificou o atleta como “um esportista disciplinado”.


Dois corpos, duas famílias dilaceradas pela dor de um crime brutal, cercado de mistérios. Scarlet Santos Sales tinha apenas 18 anos e Gilclebson Santos Pereira, 25.

O jovem casal vivia juntos há alguns meses. Primeiro, os dois moraram na casa dos pais dela, no bairro Urbis IV, em Itabuna. Depois, se mudaram para Coaraci, onde reside a família dele.

Quem os conhecia afirma que o relacionamento dos dois eram saudável e que o rapaz sempre a tratava com carinho e dedicação. Só que, na manhã deste domingo (17), uma tragédia abalou os familiares e amigos de Scarlet e Gil, como era mais conhecido. O casal foi encontrado morto dentro do carro, na BR-101, próximo ao viaduto que dá acesso ao Hospital de Base, em Itabuna.

As vítimas apresentavam ferimentos de tiros na cabeça. Um disparo em cada um. No som do automóvel, tocava uma música de Deivinho Novaes, que embalou os últimos momentos de vida dos jovens. Os corpos foram achados por policiais militares, que tinham ido tomar café no posto Flecha e na volta encontrou o veículo parado no acostamento por volta das 7h.


Quem assassinou Vitória Gabrielly, a garotinha de 12 anos que saiu de casa para patinar e encontrou a morte?

 A jovem que morava na cidade de Araçariguama, desapareceu sem deixar pistas na sexta-feira (8), Vitória saiu de casa para patinar em um ginásio da cidade que tem aproximadamente 17 mil habitantes e fica localizada no interior de São Paulo e sumiu misteriosamente.

Foram 8 longos dias de espera e desespero da família e amigos, em um caso que comoveu a população de Araçariguama e todo o Brasil e que terminou de maneira trágica no início da tarde deste sábado (16), quando o corpo da menina foi encontrado ao lado dos seus patins.

Torturada e covardemente assassinada

O corpo de Vitória estava a aproximadamente 5 km do local de onde desapareceu, a polícia foi acionada por um catador de latinhas que andava pela estrada de terra no bairro Caxambu, o cachorro deste indivíduo é que encontrou o cadáver já em adiantado estado de decomposição.

Imediatamente, a Polícia Militar e Civil foram até o local e infelizmente a menina foi reconhecida por parentes. A garota estava amarrada com um dos cadarços do patins, os peritos que estiveram no local e fizeram uma verificação preliminar, afirmaram que o corpo de Vitória apresentava sinais de tortura, seu rosto estava desfigurado e ainda havia sinais de esganadura e /ou asfixia. Ela estava de bruços debaixo de uma pilha de lixo.


Ele saía de uma festa próximo ao local do crime, quando percebeu que duas pessoas estavam sendo assaltadas. O PM reagiu ao assalto, foi baleado e morreu no local.

O policial militar Wagner Silva Araújo, de 27 anos, lotado na 67ª Companhia Independente de Polícia militar (67ª CIPM), foi assassinado com um tiro no peito na madrugada desde sábado (16), na Rua Uberlândia, transversal com Rua dos Maias, bairro São João em Feira de Santana.

Segundo o delegado Roberto Leal, coordenador regional da Polícia Civil, o crime aconteceu por volta das 4h30 da manhã. O policial estava dentro do carro, indo para casa, quando viu o assalto e trocou tiros com os criminosos. “Estamos colhendo as informações para prosseguir as investigações. Ele entrou na polícia em 2015. Um policial jovem e um crime que deixa todos consternados”, afirmou.

O coronel Luziel Andrade, comandante do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), lamentou a morte do policial e informou que no local onde aconteceu o crime não há câmeras de segurança. Ele frisou que a polícia clama por um melhor serviço, profissionalismo porque também é parte da sociedade.

“A gente trabalha para que essas coisas não aconteçam. Mas, infelizmente ele foi alvejado. Vamos agora apoiar a família e buscar identificar a autoria”, declarou. // Acorda Cidade


Homem foi preso na noite desta quinta-feira em Poços de Caldas e confessou; mãe também foi levada à delegacia porque, segundo a polícia, foi omissa às agressões.

ma menina de 3 anos morreu na madrugada desta sexta-feira (15) na Santa Casa de Poços de Caldas (MG). Ana Lívia Lopes da Silva tinha sido internada com politraumatismo craniano depois de ser agredida pelo padrasto por fazer xixi na roupa e na cama. Christhopher Anthony Tavares Coelho, de 27 anos, foi preso na noite desta quinta-feira (14) e confessou as agressões. Segundo a polícia, a mãe, de 19 anos, também foi levada à delegacia acusada de omissão.

Ainda conforme a Polícia Militar, as agressões começaram na quarta-feira (14), quando a menina teria urinado na roupa e na cama. A criança foi colocada de castigo e novamente agredida quando saiu do local. Ela teve sangramento no nariz. Durante a noite, a menina teria sido vítima de agressão mais uma vez. Ao longo do dia, a criança apresentou sinais de convulsão e só então foi levada ao Hospital Margarita Moralles pela tia e avó, que são vizinhas do casal.