sem-banho

Amou Hadji, iraniano, 80 anos, não toma banho a 60 anos.

Autorizou fazer uma breve série de fotos que detalha o que pode acontecer com o corpo humano.

Não surpreendentemente, Hadji tem um odor profundo e sua pele é dura e escamosa.
Hadji é sem-teto e se recusa a comer alimentos ou beber água limpa.
Sua comida favorita é porco-espinho morto e ele fuma regularmente um tubo preenchido com fezes de animais.
Hadji afirma que ele escolheu este estilo de vida para ficar em contato  com a terra.

O último recorde de maior tempo de ir a chuveiros pertencia a um homem de 66 anos, indiano, Kailash Singh, que não tinha tomado um banho a mais de 38 anos.
Não para nossa surpresa, quando foi procurada a razão por trás da maneira Amou Haji levar a vida, descobriu-se que ele havia passado por alguns reveses emocionais em sua juventude e desde então decidiu viver uma vida isolada.
Ele escapou das mãos de alguns jovens que lhe ofereceram um banho, porque ele acredita limpeza traz doença.

Fonte: World Online Observer


Apesar de ter se convertido, Urach disse que continuará trabalhando como modelo e fazendo ensaios sensuais para sustentar a família.

ANDRESSA-U1

Andressa Urach fez um novo depoimento na manhã desta quinta-feira (29) em seu perfil no Instagram. Dessa vez, a modelo contou detalhes dos trabalhos que fez para conseguir dinheiro, fama e afastar pessoas. A modelo aproveitou para testemunhar sua experiência com Deus durante o coma e que voltou para a igreja da família.

“Fiz um pacto com uma pombagira que a cada um mil reais que eu ganhasse eu lhe daria uma shamppagne [sic] fora os valores de trabalhos e das festas de final de ano”, escreveu na rede social.

Apesar de conquistar tudo que queria, a modelo explica que se sentia com a alma vendida e que resolveu se afastar. Ela chegou a atribuir ao pacto, a infecção que sofreu causada por uma bactéria durante a cirurgia de retirada de hidrogel das pernas. “Procurei a Cristo então quase tudo que conquistei eu perdi inclusive quase minha vida”, lembra.

Voltou para Deus
Andressa conta que durante seu internamento no hospital teve um encontro com Deus, pediu perdão pelos pecados, foi perdoada e que isso a tirou do coma. “Clamei a ele uma segunda chance pelo amor que eu tinha ao meu filho e queria ver ele crescer, pedi perdão a Deus e ele me perdoou!!!! Me deu uma segunda chance e eu acordei do coma!”.

Nos 25 dias que passou em na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disse que chegou a ver vultos negros a cercando e temeu por sua vida. Para ela, todo o sofrimento foi causado pelo seu passado, que chama de “pecaminoso”.

RTEmagicC_9af8e2ad96.jpg

Depois de sua alta no dia 24 de dezembro, a loira contraiu outra bactéria e precisou ser internada novamente. Por conta disso, ela comecou a ouvir a bíblia e refletir sobre seus problemas.

“Me tornei dizimista da casa do senhor voltei a Igreja e aprendi que na Bíblia está escrito que o dízimo eh sagrado, fiz meus propósitos com Deus e ele mostrou seu poder, diante dos meus propósitos ele me curou novamente! Minha fé me curou!”. A modelo explicou que passou a procurar outras religiões por achar errado a família pagar dízimo ou ofertas à Igreja Universal do Reino de Deus.

Apesar de ter se convertido, Urach disse que continuará trabalhando como modelo e fazendo ensaios sensuais para sustentar a família. “Não vou deixar de trabalhar na Tv […] vou continuar trabalhando honradamente mesmo que seja fazendo um ensaio de lingerie, Pq sustenta minha casa, e coloca comida na minha mesa”, concluiu.


Já está difícil imaginar uma área em que a digital do Google não esteja presente. A mais recente delas foi anunciada nesta quarta-feira, dia 21: o Google vai se tornar a mais nova operadora celular do Estados Unidos. Não será uma operadora convencional, dona de torres de transmissão e estações rádio base: será uma MVNO – Mobile Virtual Network, algo como Operadora Móvel Virtual. Na prática, o Google vai alugar a infra-estrutura da T-Mobile e da Sprint (operadoras convencionais que atuam no mercado norte-americano) e oferecer seus próprios pacotes diretamente aos consumidores.

70025.112880-Google

A notícia caiu como uma bomba no mercado do Tio Sam. Por lá, a competição entre as empresas já é bastante acirrada e, agora, todos se preparam para uma guerra de preços ainda maior, com a chegada do Google. O temor tem precedentes. O gigante das buscas já mexeu com mercado de banda larga de lá, ao oferecer conexões com 1 Gbps de velocidade a preços acessíveis em algumas cidades. O resultado do movimento foi um aumento do esforço das outras operadoras para oferecer conexões mais rápidas em seus mercados, em ações preventivas contra a “ameaça” do Google. Agora, espera-se que efeitos similares possam ser sentidos no mercado celular.

Uma nova era de comunicação celular

Há tempos o Google vem pressionado o FCC (órgão do governo de lá parecido com nosso ministério das comunicações) para que uma parte do espectro anteriormente ocupado pela TV analógica seja liberado para redes Wi-Fi. No plano maior do Google, no futuro, essas redes Wi-Fi seriam a principal forma de conexão para os smartphones – eles só usariam a comunicação celular mais tradicional onde não houvesse oferta dessas redes. O detalhe é que esse desenho pode fazer com que os custos de todo o ecossistema caiam dramaticamente. Ótima notícia para os consumidores e para o processo de conexão como um todo. Nem tão boa perspectiva para as atuais operadoras celulares. (Fonte: Olhar Digital)


cafe

Pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) e da Embrapa descobriram fragmentos de uma proteína no café que tem um efeito parecido ao da morfina, com qualidades analgésicas e ansiolíticas.

Em experimentos com camundongos, os cientistas perceberam que os peptídeos descobertos têm mais tempo de duração desses efeitos que o medicamento propriamente dito.

O pedido para patentear foi feito em agosto de 2014 e encaminhado ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi). As informações são do jornal O Globo.

A pesquisa foi feita pelo pesquisador Carlos Bloch Júnior e pelo estudante Felipe Vinecky, no Departamento de Biologia Molecular da UnB e na Embrapa.

Vinecky e Bloch perceberam que algumas sequências de genes tinham fragmentos internos (encriptados) com estrutura de opióides endógenos de humanos, como, por exemplo, a encefalina.

Dessa forma, os pesquisadores decidiram avaliar suas funções e descobrir os efeitos fisiológicos que geram em mamíferos.

Para chegar aos resultados esperados, os cientistas simularam uma digestão humana in vitro, com a maior parte da semente do café. Em seguida, foram feitos os testes em ratos na Universidade de Brasília, para, enfim, comprovar o efeito similar ao da morfina. E foi constatado que o efeito anestésico é ainda maior que o do remédio, cerca de quatro horas a mais.

“Mal comparando, seria como uma Matrioshka (boneca russa) molecular. Dentro da molécula maior existem outras menores, porém com formas e atividades diferentes da maior de todas ou da maior imediatamente anterior”, disse Carlos Bloch.


https://www.youtube.com/watch?v=Y5mjAar4MpE

A guarda-civil metropolitana Ana Paola Teixeira, de 38 anos, foi morta ao sofrer uma tentativa de assalto na manhã desta quarta-feira (28) na Avenida Nordestina, Zona Leste de São Paulo, de acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Urbana. O filho de 7 anos presenciou os tiros que mataram a mãe.

As câmeras de uma empresa registraram o assassinato. Às 6h35, ela encostou o carro no estacionamento de uma loja na frente da casa dela. O menino estava no banco de trás do automóvel. A guarda-civil esperava o transporte escolar e depois iria trabalhar.

As imagens mostram que um homem se aproximou e sacou uma arma. Houve uma troca de tiros. O criminoso saiu correndo e depois voltou. O ladrão colocou metade do corpo dentro do carro, pegou a arma de Ana Paola e fez novos disparos. O menino saiu do carro e pediu ajuda. Dois homens pararam para socorrer.

O marido de Paola chegou correndo. Ele viu a mulher baleada e, no desespero, chegou a cair. “Eu escutei os disparos, olhei na porta da sacada e vi meu filho João com os braços erguidos”, contou o marido, José Roberto da Silva. Ele a levou para o Hospital Tide Setúbal, em São Miguel Paulista, também na Zona Leste, onde Ana Paola acabou falecendo.

O filho não foi atingido. A ocorrência foi registrada no 32º Distrito Policial, em Itaquera. A polícia suspeita que, ao avistar o uniforme da Guarda Civil Metropolitana, o criminoso disparou. A guarda-civil trabalhava na corporação havia 14 anos. Além do menino de 7 anos, ela tinha uma filha de 3 anos.


14-anos

Conquistar uma vaga numa faculdade de medicina já é uma vitória a qualquer vestibulando. E o se candidato em questão não tiver sequer terminado o ensino médio na escola pública? José Victor Menezes Teles, 14, obteve nota no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) suficiente para ser calouro do curso de medicina da UFS (Universidade Federal de Sergipe) esta semana.

O garoto de corpo franzino é aluno do 1º ano do ensino médio do Colégio Estadual Murilo Braga, em Itabaiana (SE), a 52 km da capital, Aracaju. Ele conta que sempre gostou de ler, estudar e apontou os pais, ambos professores da língua portuguesa na rede pública, como principais motivadores. “Eles sempre acreditaram no meu potencial. Sempre me incentivaram e eu sempre corri atrás de meus objetivos”, disse.

Segundo o garoto, ele se dedicava a 5 horas de estudos por dia, fora o tempo da escola. Para treinar, usou a estratégia recomendada por dez entre dez professores: fazer provas anteriores. Se ele percebia dificuldades, como foi o caso de assuntos de química e física, buscava reforço.  “Durante as férias fiz cursinho aqui em Itabaiana e Aracaju”, lembrou.

José Victor se diz um aficionado usuário de internet e a utilizou como uma ferramenta importante nos estudos. “A internet me ajudou muito através das vídeoaulas, nas consultas, nas dúvidas”, disse o garoto, lembrando ainda que a rede mundial de computadores também lhe servia como fonte de lazer.

Não é muito novo?

Afiado nas respostas, o itabaianense respondeu sem titubear que seus 14 anos não lhe atrapalhariam no desempenho no curso superior. “Não se mede a capacidade pela idade. Estou sim preparado para cursar medicina. Era meu sonho e estou perto”, respondeu o adolescente, mais velho entre quatro irmãos.

Agora, ele aguarda uma decisão judicial para poder comemorar a vitória. O garoto, apesar da pontuação no Enem, não concluiu o ensino médio — exigência da UFS para se matricular. “Não se coloca limite de idade para ingressar na Universidade Federal de Sergipe”, afirmou o diretor do departamento de administração acadêmica da UFS, professor Antônio Edilson do Nascimento.

Já a secretaria estadual de Educação não pode lhe conceder o certificado de conclusão do ensino médio por causa da sua idade. Apenas jovens com mais de 18 anos, com pontuação de 450 e que não tenham zero na redação, podem pedir um certificação.

Os pais de José Victor entraram na Justiça pedindo para que a Secretaria de Estado da Educação conceda ao filho o direito de realizar a prova de proficiência e, portanto, um certificado que lhe ateste o ensino médio.

“Entramos com o mandado na Justiça. Meu filho teve média no Enem e merece essa oportunidade. É um menino que gosta de correr atrás das coisas. Com certeza ele pode fazer esse curso [medicina]. Tem maturidade”, disse o pai de José Victor, José Mendonça, conhecido na cidade como “Professor Tostão”.

O desempenho de José Victor no Enem não foi uma surpresa para o pai que contou, orgulhoso, outro feito do garoto. “Ano passado ele ganhou uma bolsa por ser medalhista na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas”, destacou.

José Victor obteve  751,16 pontos na prova e 960 na redação.


É comum os pais vitimizarem a criança para justificar a onipresença dela na vida do casal. Saiba o que fazer para não deixar isso acontecer e manter um relacionamento saudável

“Os pais precisam ter momentos de família e momentos de casal. A criança não precisa participar de absolutamente tudo. Isso não significa menos amor pelos filhos”. Essa é a opinião da psicóloga e sexóloga Maria Claudia Lordello.

Ela explica que a convivência em família é fundamental, mas também defende que isso não pode causar o distanciamento do casal. E cabe aos pais tomar as rédeas do relacionamento e evitar que a criança atrapalhe a união.

A psicóloga e terapeuta sexual Ana Canosa concorda sobre o papel fundamental que os adultos desempenham no núcleo familiar. “Acredito que quando uma criança se intromete no relacionamento dos pais, ela o faz de maneira intencional, mas sem a consciência do que a leva a agir dessa maneira. Ela também não sabe que isso pode prejudicar a família. Quem tem que cuidar para que esse atrito não aconteça são os adultos”, afirma.

>> Veja sete atitudes das crianças que podem prejudicar o relacionamento do casal e aprenda a colocar limites para que isso não aconteça:

pai1

24pl9cjklcribaiddtw5w85ha

Quando a criança não quer dormir no próprio quarto pode ser um problema para casais que precisam dessa proximidade diária. “Esse espaço deve ser do casal. Cada um tem seu lugar na família”, defende Ana Canosa.

Para Ana, é essencial que os limites do relacionamento sejam respeitados desde muito cedo: “Muitas crianças ficam interrompendo conversas dos pais, por exemplo. Não deixe isso acontecer. Explique que você vai falar com ela depois de terminar a conversa atual, mesmo que isso cause situações embaraçosas em público. Mais vale passar vergonha do que deixar o limite passar”.

 “Coitadinha”

É bastante comum os pais vitimizarem as crianças para justificar a onipresença do filho na vida do casal. Mas muitos não entendem que não é apenas o relacionamento que sai prejudicado com essa atitude.

Leia também:
Família mosaico ajuda pais e filhos a conviver com diversidade
Refeições em família reforçam união entre pais e filhos

“Algumas pessoas justificam a falta de tempo a sós do casal com a noção de que a criança é uma ‘coitadinha’ e vai ficar sozinha. Isso não é verdade. O filho tem que aprender hábitos de individualidade. Para os pais, parece que se distanciar é um ato de desamor. Mas é preciso repensar essa postura porque é fundamental que cada ser humano tenha seu espaço. Individualidade é essencial e traz inúmeros benefícios em longo prazo”, explica Maria Claudia.

Ela reforça que esse tipo de rotina em que a criança está sempre presente pode causar prejuízos afetivos e sexuais para o casal. A perda da vivência a dois pode ‘esfriar’ o relacionamento. A sugestão é preservar a sexualidade e reservar momentos mais estimulantes a dois.

“Sair para jantar, namorar, criar um clima. Tudo isso faz um bem enorme. E todos se beneficiam, inclusive os filhos que crescem com pais felizes e que se dão bem”, defende Maria Claudia. Ela completa: “Coloque limites e entenda que seu filho não precisa participar de tudo na sua vida e na do seu companheiro. Não precisa ter dó ou sentir culpa”.

7yoy4v0vc3qpu64e19shet44q