Emocionante: Após vencer câncer, italiano dá adeus à natação competindo ao lado da namorada


Elena Gemo e Lorenzo Benatti, que curte rodar a Europa de moto, são namorados, treinam no mesmo clube e vão dividir piscina neste domingo no Raia Rápida, no Maria Lenk.

Após vencer câncer, italiano dá adeus à natação competindo ao lado da namorada

Em 2006, quando ouviu de seu médico que não poderia mais nadar, Lorenzo Benatti teve medo. Diagnosticado com um câncer no sistema linfático, o atleta italiano precisou encarar de frente o tratamento contra a doença e a possibilidade de nunca mais poder entrar na piscina. Foram dois anos de batalha, mas ele saiu vitorioso.

Está completamente curado. Atualmente, pode curtir tranquilamente as suas três paixões: a natação, sua moto e a namorada Elena Gemo, que também é atleta. Os dois estão juntos há quatro anos e, pela primeira vez, vão competir em equipe. Será no evento Raia Rápida, que acontece no domingo, a partir das 10h (de Brasília), com transmissão ao vivo do Esporte Espetacular, direto do Parque Aquático Maria Lenk, na Barra da Tijuca.

Fiquei no hospital tratando um câncer, um linfoma. Foi um tempo duro, difícil, para mim, para meus amigos e para minha família. Agora estou forte, na mente e no corpo. E sou muito grato a todos os que estiveram comigo naqueles momentos, por tudo, meus pais, meus médicos, meus amigos. Fiquei com mais medo quando meu médico disse que teria que parar de nadar. E eu perguntei o motivo, porque viver sem a piscina para mim seria muito complicado. Mas agora estou bem, estou curado e esse período, ainda bem, acabou. Depois do câncer, ganhei minha primeira corrida no Campeonato Italiano e fiquei muito feliz, achava que seria impossível. Me senti muito forte e é muito lindo. É nossa primeira vez no Brasil e é uma situação maravilhosa poder nadar com Anthony Erving, Bruno Fratus, Etiene Medeiros. Estou muito empolgado – comentou Lorenzo.

Já tradicional e considerado um dos principais eventos da natação mundial, o Raia Rápida terá esse ano um formato um pouco diferente. Em 2017, coloca as mulheres em disputa. Ao invés de quatro atletas masculinos, como ocorreu em edições anteriores, essa terá quatro times – Brasil, Itália, Argentina e Estados Unidos – com dois homens e duas mulheres cada. Eles nadarão estilos costa e borboleta. Elas farão peito e livre. Além das provas individuais, haverá o revezamento misto também. Por esse motivo, Lorenzo e Elena estã animados. Eles, que treinam juntos no mesmo clube na Itália, vão defender seu país juntos. E será ainda mais especial, pois Lorenzo, em breve, deixará as piscinas.

Acho que será meu último ano na piscina e fechar minha carreira com essa competição será excelente. Nós nos conhecemos há 12 anos. Claro, foi na piscina. Quatro anos atrás, nós começamos a namorar. Eu estou bem feliz com a nossa história, porque convivo com ela todos os dias na piscina e fora da piscina. Treinamos no mesmo lugar. Somos muito felizes. Somos namorados e muito felizes de estar juntos – explicou o atleta. Treinamos no mesmo clube, na mesma raia, temos o mesmo técnico e a mesma casa (risos). Isso é lindo. Não somos casados, mas somos muito felizes. E essa competição mista é sensacional, é bem louco colocar homens e mulheres fazendo revezamento juntos. É a primeira vez treinando e competindo juntos – completou a sorridente Elena.

Lorenzo e Elena ainda não são casados. Mas, no futuro, pensam em filhos. Se bem que, na semana que vem, terão mais um membro em sua família. Não temos filhos, mas semana que vem vamos adotar um cachorrinho – falou Lorenzo.

É como se fosse o nosso primeiro filho. No futuro, queremos. Mas é muito difícil como atleta, sobretudo para mim – acrescentou Elena, dona de 40 títulos nacionais e 25 medalhas em revezamentos.

Se é completamente apaixonado pela natação e por Elena, Lorenzo ainda tem outra paixão, “La Bimba”, sua motocicleta. Ele e a namorada costumam rodar pela Itália e, até mesmo, por outros países da Europa, de moto. O esportista tem até mesmo uma fanpage na internet, onde costuma postar registros desses momentos. Além disso, é fã de automobilismo. Mas tudo, é claro, com extremo cuidado, já que uma queda poderia prejudicar a carreira esportiva.

– Eu amo minha moto. Pilotar é incrível. É meu primeiro amor a “La Bimba”. Amamos ficar rodando pela Itália, Roma, a Europa como um todo, quando o tempo está legal. Eu tenho uma fanpage e eu sigo o mundo do automobilismo como paixão. É fácil porque eu amo minha mulher, minha moto e tudo que faço. Minha mulher vem comigo atrás. Eu piloto bem devagar para podermos ver a paisagem, a natureza. Eu odeio velocidade. É perigoso. E nós amamos nossas vidas, então é isso. Eu não posso ter um acidente porque senão o pai dela me mataria. E o irmão dela, de 2 metros, também – concluiu.

Fonte: Globo Esporte