Falta de preparação: Polícia confunde herbicida com cocaína e homem fica 21 dias preso

Homem ficou preso 21 dias.

A Polícia Rodoviária Federal no Paraná admitiu que o narcoteste feito em dois pacotes apreendidos com um trabalhador rural no dia 3 de Agosto, em Quatro Pontes-PR apresentou resultado falso positivo para cocaína, o que foi esclarecido pela perícia da Polícia Científica, cujo resultado foi apresentado ao processo na última quinta-feira.  Por conta do resultado do teste, o homem passou 21 dias preso na cadeia de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná. Dirigindo uma caminhonete pela BR-163, o motorista, cuja identidade está sendo preservada, foi abordado pela PRF, que suspeitou dos pacotes que ele carregava.

Ele alegou que tratava-se de um herbicida a base de glifosato que havia comprado para combater ervas daninhas, mas o teste da PRF apontou que tratava-se de cocaína, o que resultou em sua prisão em flagrante. Ele ficou preso por 21 dias na cadeia de Marechal Cândido Rondon, recebendo o alvará de soltura da Justiça após ficar comprovado pelo teste da Polícia Científica do Paraná que o produto resultou em “Identificação Negativa para drogas ilícitas”. Com o resultado da perícia que comprovou não se tratar de droga. Em nota, a Polícia Rodoviária Federal afirma que os testes feitos por seus agentes nos locais das apreensões de cargas suspeitas têm caráter preliminar. Servem para complementar eventuais indícios de conduta criminosa. A identificação definitiva da substância é realizada pela perícia, após o encaminhamento da ocorrência para a polícia judiciária. A PRF alega ainda que o uso do narcoteste é um procedimento amplamente utilizado por polícias de todo o mundo e que, até então, a PRF não tinha registros de situações com falso positivo no Paraná.

Fonte: Paraná Portal.



Comentários

Os comentários estão fechados.