Um relatório será elaborado até 13 de maio para dizer as causas do que provocou a falha em um dos processos do lançamento

A nave de carga russa Progress M-27M que apresentou problemas na tentativa de alcançar a Estação Espacial Internacional, deve cair na Terra na sexta-feira (8), de acordo com a agência Roscosmos.  A nave, que está descontrolada, deve atingir a atmosfera do planeta, mas não há previsão do local de queda.

Segundo a EFE, citando a “RIA Novosti”, uma fonte do setor aeroespacial disse que “até 24 horas antes [da queda], o lugar só poderá ser determinado com uma grande margem de erro”. Ainda segundo o especialista do setor aeroespacial, tranquilizou sobre os possíveis riscos.  “Todos os fragmentos que podem representar uma ameaça não chegarão (à Terra), já que se desintegrarão nas camadas densas da atmosfera”, disse.A corporação espacial Energuia, fabricante dos cargueiros, previu desde o primeiro momento que a Progress cairia entre 5 e 7 de maio, no entanto, garantiu que ela não representa risco, já que a maioria de suas partes serão queimadas ao entrarem em contato com a atmosfera.

Um relatório será elaborado até 13 de maio para dizer as causas do que provocou a falha em um dos processos do lançamento.

 



Jovem de 27 anos foi agredido pelos vizinhos que ficaram revoltados com a situação; ele foi encaminhado à cadeia usando fralda.

A polícia prendeu, nesta quarta-feira (6), o rapaz de 27 anos que matou a própria avó com um vaso sanitário depois de uma briga. Ele, que foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba, em São Paulo, havia recebido alta médica do Hospital Regional após ser espancado por moradores quando o crime foi descoberto.

O nome do jovem, que saiu do hospital para o CDP usando fralda, não foi divulgado e, de acordo com a Polícia Civil, ele será indiciado por homicídio simples. O crime foi realizado nesta terça-feira (5), no bairro Humberto de Campos.

De acordo com o G1 São Paulo, um cabo da Polícia Militar revelou que o suspeito estava alucinado na hora da ocorrência. “Não falava nada com nada. Estava transtornado e apresentava sinais de surto”, disse a fonte. O rapaz foi agredido com pedaços de madeira e uma barra de ferro pelos moradores da região, que ficaram revoltados quando souberam que a vizinha, que tinha 71 anos, havia sido morta pelo neto.

A casa onde o homicídio aconteceu foi interditada para a perícia.



Uma mulher conseguiu se livrar de um sequestro através do aplicativo de delivery da Pizza Hut. De acordo com o ‘Daily Mail’, Cheryl Treadway teria sido impedida de sair de casa com filhos depois de ter discutido com o namorado, Earl Nickerson, de 26 anos.

Cheryl, que também estava sendo impedida de fazer ligações, convenceu o namorado a pedir uma pizza pelo aplicativo e incluiu no campo de observações de sua solicitação, o pedido por socorro: “Por favor ajuda. Chame o 911 para mim” e “911 refém ajuda”.

Os atendentes da pizzaria comunicaram o pedido de ajuda à polícia, que foi recebida pelo sequestrador. Os agentes negociaram por cerca de 20 minutos com Nickerson para que ele liberasse os reféns e se entregasse.

A polícia do Condado de Highlands, na Flórida (EUA), explicou que como o rapaz foi preso em flagrante, ele responderá pelos crimes de ataque a mão armada sem intenção de matar, aprisionamento e obstrução da Justiça.



facada

Três homens foram presos suspeitos de matar um morador de rua na Avenida Oscar Pontes, localizada em Água de Meninos, na capital baiana. De acordo com a polícia, pai, filho e sobrinho podem ter participado do crime no domingo (3). O corpo da vítima foi encontrado, na segunda-feira (4), na Estrada do Derba, com 19 facadas, sinais de tortura e parcialmente queimado. Outros dois homens que podem ter participado do assassinato já foram identificados e são procurados pela polícia.

A prisão dos suspeitos foi feita na segunda-feira, logo após os três registrarem queixa, na 3ª Delegacia Territorial (DT/Bonfim), contra o morador de rua que teria incendiado, na noite de domingo (3), o caminhão de um dos suspeitos, que é revendedor de cocos na região do Comércio, em Salvador.

Ainda segundo a polícia, o morador de rua trabalhava para ele como ajudante.O delegado Reinaldo Mangabeira, responsável pela investigação, disse que, em depoimento, testemunhas informaram que o ato do morador de rua ocorreu por ele não ter recebido o pagamento pelos serviços prestados ao revendedor de cocos. Por vingança, segundo apontam as investigações, o homem o matou com a ajuda do filho e do sobrinho.

O crime, de acordo com a polícia, aconteceu em um galpão e o trio usou o carro de um dos suspeitos para transportar o corpo. A faca utilizada para assassinar a vítima ainda não foi localizada.

Pai, filho e sobrinho estão na Cadeia Pública, no Complexo Penitenciário da Mata Escura, na capital baiana.



A Polícia Civil de Piracicaba, interior de São Paulo, prendeu um casal nesta terça-feira (5) suspeito de matar um homem e esconder o corpo no quintal da casa onde ele morava, no bairro Eldorado 2, periferia da cidade. Os dois confessaram ter matado a vítima com garrafadas na cabeça há dois meses, segundo o delegado responsável pelo caso.

O casal foi levado pelos policiais até a casa do idoso para desenterrá-lo. A dupla foi presa em flagrante por ocultação de cadáver e vai responder também por homicídio. Segundo a polícia, a mulher tinha um caso com a vítima, mas a família dele não aceitava o relacionamento. Ela disse que arquitetou o crime com o namorado. Os dois confessaram o assassinato, mas não falaram qual foi a motivação.

A família registrou um boletim de ocorrência do desaparecimento e disse que demorou para procurar a polícia porque o idoso demorava para fazer contato. Ele sabia que todos eram contra o namoro.

Quando foi encontrado, o corpo já estava em avançado estágio de decomposição. Vizinhos se aglomeraram no portão para acompanhar a retirada do corpo.

R7 SP



Ele trocava de roupa com irmãos para não ir igual todos os dias à faculdade.
Spanholo também já costurou e lavou carros; hoje ele é colega de miss DF.

O juiz Rolando Valcir Spanholo, durante cerimônia de posse no Tribunal Regional Federal, em Brasília (Foto: Tribunal Regional Federal/Divulgação)

O recém-empossado juiz federal Rolando Valcir Spanholo, de 38 anos, afirma que disciplina e motivação foram a receita que o levaram a romper com a antiga realidade de borracheiro e alcançar o sonho de ser magistrado em Brasília. Os últimos quatro anos foram dedicados a concursos públicos, nos quais ele acumulou 200 quilos de resumos de disciplinas de direito. O advogado é de Sananduva, no Rio Grande do Sul, e foi aprovado na mesma seleção feita pela miss DF Alessandra Baldini.

Spanholo conta que a ideia de virar juiz veio tarde, já no final da faculdade e por influência de um professor. Até então o objetivo dele era apenas “melhorar de vida”. A graduação, de acordo com o juiz, já parecia uma grande superação para ele e os quatro irmãos, que trocavam de roupa e sapatos entre si para não irem todos os dias vestidos do mesmo jeito para a instituição.

O trabalho começou cedo. Entre os 9 anos e os 15 anos, os cinco consertavam pneus e lavavam carros junto com o pai. “Durante o inverno, as mãos e os pés ficavam quase sempre congelados. Não tínhamos luvas de borracha e outros equipamentos de proteção que hoje são comuns e obrigatórios. Só restava fazer muito fogo para se aquecer, mas, com isso, os choques térmicos eram inevitáveis. Vivíamos com fissuras nas mãos e pés.”

Rolando Valcir Spanholo lava carros junto com os irmãos durante a adolescência em cidade do interior do Rio Grande do Sul (Foto: Rolando Valcir Spanholo/Arquivo Pessoal)

O magistrado diz que a condição levava a família a ser muito severa em relação à educação e a acreditar que só assim todos teriam melhores oportunidades. O esforçou coletivo ajudou os cinco irmãos a ingressarem em uma faculdade de direito que ficava a 250 quilômetros de casa. Para pagar os estudos, os irmãos tiveram de aprender a costurar cortinas e edredons e a fazer bordados.

“Depois, com a chegada da habilitação para dirigir, também passei a trabalhar na área de vendas. Era um desafio diário. Saía sempre cedinho, rodava o dia todo, batendo de porta em porta pelos municípios da região, oferecendo nossos produtos diretamente nas casas. Por razões de economia, meu almoço era sempre debaixo da sombra de uma árvore, dentro do carro. Cardápio? Algumas fatias de pão caseiro e um pedaço de frango empanado – e frio – ou uma torrada carinhosamente preparados pela minha mãe. Bebida? Água que levava dentro de um litro [de garrafa] pet”, lembra.

Spanholo voltava para casa no final da tarde para pegar o ônibus para ir à faculdade. Muitas vezes, por causa da distância, não conseguia tomar banho antes das aulas. As faltas também eram frequentes por causa do trabalho e aconteciam em média duas vezes por semana. Como consequência, ele ficou de exame nos dez semestres do curso.

“Na verdade só consegui levar adiante a graduação porque meus colegas conheciam minha realidade e sempre me emprestavam os cadernos para copiar ou tirar xerox das suas anotações. Confesso que, durante a graduação, estudei muito pouco por livros de doutrina, não tinha como”, explica. “Aliás, meu ‘horário de estudos’ era no ônibus, durante as viagens de ida e volta, e aos domingos – os sábados eu usava para fazer vendas nas cidades mais distantes. A necessidade faz a gente se reinventar.”

Lembrança escolar de Rolando Valcir Spanholo, da época em que começou a ajudar o pai como borracheiro e lavador de carros (Foto: Rolando Valcir Spanholo/Arquivo Pessoal)

Sem familiares e conhecidos na área, Spanholo afirma que só fez a seleção para a Escola Superior da Magistratura, aos 22 anos, por insistência de um professor. A instituição fica em Porto Alegre e oferece cursos de preparação e de aperfeiçoamento para interessados na área. A aprovação foi uma surpresa, e o jovem precisou se desdobrar entre trabalhar em escritórios aos finais de semana enquanto passava de segunda a sexta estudando a 400 quilômetros de casa.

Ao fim do curso e já casado, o juiz deu início à primeira das duas “temporadas” de concursos públicos. Ele conta que chegou perto da aprovação para promotor, procurador, juiz do trabalho e juiz estadual entre 1999 e 2003, mas precisou desistir dos certames porque a mulher havia acabado de ganhar bebê.

“Tínhamos o filho pequeno, e, em uma decisão muito difícil, conjuntamente optamos por ‘adiar’ meu sonho de ser magistrado. Em 2010, decidi retomar tal sonho, mas agora na área federal. Sofri muito para refazer a base do conhecimento que perdi durante aquela ‘parada técnica’. Levei um bom tempo para voltar a atingir um ‘nível competitivo’. Reprovei em muitos concursos. Aliás, de tanto ficar no ‘quase’, acabei ficando ‘especialista’ em calcular e antecipar as notas de cortes das provas objetivas dos nossos concursos”, brinca Spanholo.

Levei um bom tempo para voltar a atingir um ‘nível competitivo’. Reprovei em muitos concursos. Aliás, de tanto ficar no ‘quase’, acabei ficando ‘especialista’ em calcular e antecipar as notas de cortes das provas objetivas dos nossos concursos”
Rolando Valcir Spanholo,
ex-borracheiro que virou juiz federal

Foram dezenas de seleções desde então. Para se preparar, o magistrado passou a estudar a vida de pessoas que já haviam alcançado aprovação no concurso que ele queria. Ele lembra que identificou o que havia de comum, em relação a estratégias e métodos de estudos, para traçar o plano de como se prepararia.

“Logo percebi que, por conta das minhas limitações – tempo, lugar, idade —, muitas delas eu não conseguiria executar, como frequentar cursos preparatórios, estudar por ‘doutrina pesada’ etc. Sentia que precisava ariscar estratégias próprias, moldadas na minha realidade. Experimentei várias. Umas deram certo, outras nem tanto”, diz.

Spanholo afirma que surgiu então a ideia de começar a fazer resumos das matérias e de grifar as principais leis para voltar a ter uma noção das principais áreas do direito. Depois, passou a estudar com base em provas antigas. Ele também fez sinopses de informativos dos tribunais superiores e usou a internet para pesquisas. Ao final, juntou mais de 200 quilos – em 34 caixas – de material de estudo. O acervo foi encaminhado para reciclagem.

O juiz federal Rolando Valcir Spanholo junto a parte dos 200 quilos de resumos que usou para estudar na preparação do concurso (Foto: Rolando Valcir Spanholo/Arquivo Pessoal)

Para suportar a pressão e o esgotamento emocional, o juiz conta que também via vídeos motivacionais em redes sociais. Ele lembra que a preparação o ajudou a manter a tranquilidade no dia da prova oral, depois de passar quase seis horas trancado em uma sala de confinamento para ser testado por cinco pessoas sobre conhecimentos em todos os ramos do direito.

Nada nunca chegou fácil. Por necessidade, treinei minha mente para acreditar que com humildade, disciplina e motivação era possível vencer um a um os desafios da vida, mesmo não dispondo das melhores condições para enfrentá-los. Sempre fui à luta. Nunca esperei que os outros viessem me dizer o que eu poderia e o que eu não poderia ser. Definia meus objetivos e passava a identificar o que precisava ser feito para atingi-los”
Rolando Valcir Spanholo,
ex-borracheiro que virou juiz federal

“Naquele momento um filme da vida passa na cabeça da gente. Sem me abalar, em fração de segundos, lembrei-me de cada fase, dos meus pais e familiares, das privações, das quedas, enfim, de tudo que tinha se passado ao longo dos 38 anos de minha existência”, conta. “Entrei naquele recinto pronto para ‘lutar’ por mim e por todas as pessoas que, de uma forma ou de outra, acabaram me ajudando a chegar naquele lugar. Não podia decepcioná-los.”

O resultado do certame para o Tribunal Regional Federal saiu em novembro de 2014, e Spanholo ficou entre os 60 primeiros classificados. Surpreso com a boa colocação, ele se diz orgulhoso da trajetória e atribui o resultado ao esforço e ajuda dos familiares e amigos.

“A vida sempre me ensinou que dificuldades existem para serem superadas. Aliás, dificuldades todos têm. Uns mais, outros menos, mas todos enfrentam obstáculos para alcançar seus sonhos. O que diferencia as pessoas é exatamente a forma como elas reagem diante das resistências do cotidiano. Uns se acovardam e se deixam dominar. Outros veem nas dificuldades grandes oportunidades de crescimento, de evolução pessoal”, afirma.

“No meu caso, desde criança, sempre precisei acreditar naquilo que para os outros seria motivo de dúvida. Nada nunca chegou fácil. Por necessidade, treinei minha mente para acreditar que com humildade, disciplina e motivação era possível vencer um a um os desafios da vida, mesmo não dispondo das melhores condições para enfrentá-los. Sempre fui à luta. Nunca esperei que os outros viessem me dizer o que eu poderia e o que eu não poderia ser. Definia meus objetivos e passava a identificar o que precisava ser feito para atingi-los”, completou o juiz.

O juiz federal Rolando Valcir Spanholo (Foto: Tribunal Regional Federal/Divulgação)

Dizendo-se avesso a publicizar a própria história, Spanholo conta que tem se espantado com a quantidade de pessoas que diariamente o procuram para falar que ele as inspirou. Segundo o magistrado, os relatos extrapolam o mundo dos concursos públicos e têm relação até mesmo com a vida privada de algumas delas.

“Não sei explicar direito, mas é como se as pessoas precisassem ver diante dos seus próprios olhos uma prova de que também elas podem superar seus limites pessoais e alcançar os seus sonhos”, declara. “Procuro sempre mostrar para elas que, de fato, se um ex-borracheiro e ex-lavador de carros conseguiu, é porque qualquer outro também poderá ser juiz federal ou que quiser ser na vida. Basta ter disciplina, persistência, espírito de superação e, principalmente, acreditar no nosso próprio potencial.”

G1



Neymar gasta R$ 7 mil por mês em tratamento para os cabelos: “mais sedoso”
Foto: AFP

“Quando Neymar chegou a mim o cabelo dele estava muito estragado. Tinha feito muita escova progressiva e alisamento antes, o que detonou muito os fios. Isso sem falar na descoloração. Tive que diminuir o comprimento do cabelo antes de começar o tratamento”, contou o profissional ao Uol Esporte.

“Hoje o cabelo dele está mais sedoso. Agora ele está conseguindo até penteá-lo para trás. Parece bobagem, mas é muito importante. Neymar é um produto. Aquele cabelo não o vendia bem”, avaliou Tenório.

Questionado sobre os horários que atende o brasileiro, o  hair stylist explica: “Não tem muito horário, fico à disposição dele. Ele manda um motorista me buscar e me deixar em casa. Já cheguei a sair de lá à 1h”, contou o profissional ants de revelar quanto custa o tratamento.

“É difícil calcular o preço, porque não é um serviço disponível para todos os clientes. Mas eu diria que não sai por menos de 2 mil euros (R$ 6,7 mil) mensais”, afirmou Tenório.



uesb

Alunos vão fazer protesto nesta quarta-feira (06) (Portões Fechados, UESB, Campus Itapetinga). A LUTA do movimento Estudantil da UESB, Campus Itapetinga, tem ganhado força e a cada dia mais estudantes tem se conscientizado que é parte integrante desse corpo, e que somente através de lutas e mobilizações conseguiremos reverter essa situação de abandono, falta de assistência, fome, evasão escolar, precariedade da UESB , Campus de Itapetinga.

Dia 06 de MAIO, nós estudantes dos cursos de Pedagogia, Zootecnia, Engenharia de Alimentos, Engenharia Ambiental, Química, Física, Biologia FECHAREMOS OS PORTÕES da UESB, campus Itapetinga.CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS A PARTIR DAS 07:ooHs DA MANHÃ OU NO HORÁRIO QUE PUDEREM.

O fechamento dos portões é uma forma de protesto, reivindicação e denúncia pela omissão e descaso da reitoria e da administração estadual com o futuro estudantil . Nós do movimento Estudantil do campus de Itapetinga, temos por pauta: Implantação imediata do Restaurante Universitário, Residência Universitária, Uma maior quantidade de Auxilio e bolsa de permanência Estudantil, Transparência orçamentaria, Espaços de Convivência, + cultura, esporte e lazer, manutenção e aquisição de equipamentos para os laboratórios, Aquisição de novas coleções literárias e científicas para a biblioteca, (pois não há compra de novas coleções desde o final de 2013), chuveiros nos banheiros



10428685_1557567821159728_2569658344013905819_n

 

Venha conhecer a Exótica Presentes & Importados, tudo em acessórios que você pensar com preço imperdível.

BOLSAS-CANECAS-PORTA RETRATOS

TODOS OS MODELOS DE CAPA DE CELULAR

BONÉS-CINTOS–MOCHILAS-PELÍCULA

ACESSÓRIOS PARA NOTBOOKS

Tudo em diversas você só encontra na EXÓTICA PRESENTES & IMPORTADOS

Venha já conferir o que a Exótica tem pra você!!!

all-secrets-promoção2

 

POR KELVES AZEVEDO


caixãoUm alto funcionário policial de Atenas, na Grécia, identificado como Christos Papazafiris, foi preso e confessou um crime bárbaro nesta segunda-feira (4). De acordo com notícia da AFP, publicada pelo site Uol, o búlgaro de 27 anos, assumiu ter matado e esquartejado a filha de quatro anos.

De acordo com a publicação, o homem cortou o corpo em pedaços e os ferveu para reduzi-los. Em coletiva de imprensa ele assumiu o crime entre os dias 8 ou 9 de abril, em sua casa, no subsolo de um edifício do centro de Atenas, antes de fazer o corpo desaparecer de forma abominável. Ainda de acordo com AFP e Uol, Yannis Panoussis, ministro da Proteção ao Cidadão, declarou à uma rádio local que trata-se de um comportamento extremamente desumano.

A menina era procurada desde 24 de abril, quando sua mãe, também búlgara, que estava na Alemanha, declarou seu desaparecimento, informou a polícia, que também a deteve por “exposição de um menor a risco”.



radar

A Polícia Civil do município de Guaratinga, na região sul da Bahia, suspeita que uma mulher matou o próprio marido, o trabalhador rural Edimário da Cruz, de 43 anos, com um tiro de espingarda no fim da manhã da última segunda-feira (4). O crime aconteceu na localidade de Barra Nova, na zona rural da cidade. Até o momento, Diana de Jesus, 34 anos, é a principal suspeita. As informações são do site Radar 64. O delegado Sinézio Vieira Júnior, responsável pelas investigações, afirmou que a mulher era vítima de agressões constantes do marido, mas vai pedir sua prisão preventiva. Pouco antes de ser morto, Edimário teria desferido um golpe de foice no braço de Diana, que, em autodefesa, disparou contra o agressor. O homem morreu no quarto do casal. A espingarda e a foice foram apreendidas pelo Departamento de Polícia Técnica. O corpo de Edimário foi encaminhado para o Instituto Médico Legal durante a noite e a mulher está foragida.



moça mortaO homem acusado de matar a ex-namorada a facadas na madrugada de segunda-feira (4), em Vargem Pequena, tentou, segundo a família, sequestrar a menina cinco dias antes do assassinato.

Segundo matéria do Extra, Rayanne Cristina Ferreira, de 18 anos, foi atingida por pelo menos três golpes de faca, e um deles perfurou o seu coração. O namorado da vítima, Ramoni Galindo de Souza, de 24, também ficou ferido no ataque. Segundo ele, o crime foi cometido por um ex-companheiro de Rayanne, amigo de infância de ambos, que estaria com ciúmes da atual relação. A Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil investiga o caso.

A irmã da vítima, Daiane Cristina Ferreira, de 22 anos, contou que o ex-namorado foi procurar Rayanne na escola dela na última quarta-feira. Ele teria dito que queria se despedir porque havia alugado uma casa em Macaé e ia morar lá. Os dois caminharam até o ponto de ônibus e, quando o coletivo chegou, Rayanne teria sido empurrada para dentro do ônibus.



caixa1

A agência da Caixa Econômica Federal do município de Irará, a 134 quilômetros de Salvador, ficou parcial destruída após caixas eletrônicos terem sido explodidos por quadrilha armada na madrugada desta terça-feira (5).

De acordo com a delegacia do município, os criminosos chegaram à cidade em cerca de três carros, por volta das 2h30, e invadiram a unidade bancária. Na ação, dois caixas eletrônicos foram explodidos e ficaram completamente destruídos. Não há informações sobre quantia roubada.

Por conta das explosões, o teto da agência cedeu e a unidade bancária foi interditada. De acordo com a delegacia, o crime será investigado pela 2ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/ Alagoinhas). Procurada peloG1, a Coorpin infromou que solicitou imagens das câmeras de segurança da agência para tentar identificar os suspeitos.